Conceitos básicos,  História antiga,  Leitura clássica

Manual de fontes confiáveis

Introdução

  • A internet gerou a possibilidade de disseminação rápida de informação e o surgimento de produtores de conteúdo dos mais diversos lugares e estratos sociais. Isso realmente democratizou bastante o acesso a informação, no entanto, existem muitas pessoas produzem conteúdo sem responsabilidade por se aproveitar da falta de instrução dos leitores para identificar se a fonte é confiável ou não.
  • Dito isso, eu montei um manual simplificado de como identificar fontes confiáveis para auxiliar quem não teve acesso a esse conhecimento e quer ir em busca de produtores de conteúdo responsáveis para estudar sobre paganismo e seus assuntos correlatos.
  • Apesar de ser muita informação, fique tranquilo, o seu olho começará a ficar treinado e conseguirá ver se o texto é confiável com mais facilidade.
Fonte: Cultura Preta.

Citações e plágio

Ação ou efeito de citar.
A referência ou o trecho que foi citado; cita.

Definição de Citação. Fonte: dicio.com.br.

Ação ou efeito de plagiar, de expor ou de mostrar uma obra intelectual de outra pessoa como se fosse de sua própria autoria.
[Jurídico] Apresentação que alguém faz de algo, como se fosse de própria autoria, quando na verdade foi criado ou pertence a outrem; cópia, imitação: plágio de um livro, trecho de música, de uma pintura etc.

Definição de Plágio. Fonte: dicio.com.br.
  • Quando produzimos um conteúdo é normal ir em busca de autores que tenham falado do mesmo assunto para saber como eles descrevem o assunto que quer falar.
  • É muito interessante para o leitor perceber durante a leitura que o autor do texto buscou outros autores para fazer um debate de ideias ou para apresentar as ideias de outras pessoas com uma perspectiva diferente, seja para fazer uma transposição didática (tradução de fácil compreensão) ou para discordar ou confirmar um ou outro ponto de vista.
  • Infelizmente, muitos produtores de conteúdo que não possuem criatividade, confiança na sua própria produção ou não sabem fazer citações, acabam reproduzindo o conteúdo de outras pessoas sem autorização e/ou sem referenciar. Quando isso acontece, você cai no crime de plágio.
  • O plágio inclusive pode acontecer quando você publica em dois textos da sua autoria o mesmo parágrafo sem referenciar o texto original, sendo chamado de autoplágio. Isso parece bobeira, mas é importante deixar claro para o leitor que o fragmento que ele está lendo já foi publicado previamente e não é uma produção inteiramente nova.
  • Por isso, desconfie de textos que não tem referências.
  • Como faz uma referência? Vai depender se o seu texto é acadêmico ou não. Textos acadêmicos tem formatos de referência mais rígidos e seguindo um padrão do local da publicação. Já textos não acadêmicos não tem regras claras de citação, vai muito do bom senso do autor, mas irei dar alguns exemplos a seguir.
Ilustração que exemplifica o plágio, o roubo de ideias. Fonte: contentools.

Fontes acadêmicas

  • Existem diferentes textos acadêmicos, mas os principais são: monografias, dissertações, teses, livros e artigos. Irei falar brevemente em como identificar cada um deles para saber se está com um documento sério. Normalmente eles são divulgados em formato pdf ou no formato da revista online.
  • Trabalhos de conclusão de curso
    • Monografia é um trabalho de conclusão de graduação no ensino superior. Ele é feito por alguém que está iniciando a sua carreira científica. As iniciações científicas costumam durar em média de 6 meses a 2 anos para serem concluídas gerando a monografia e o aluno precisa comprovar que está cursando graduação em uma instituição de ensino.
    • Dissertação é um trabalho de conclusão de mestrado, gerando o grau de mestre. Ele é feito por alguém que já tem mais autonomia e profundidade de pesquisa que um aluno de graduação. Os mestrados possuem duração média de 2 anos, incluem disciplinas e possuem processo seletivo para serem iniciados.
    • Tese é um trabalho de conclusão de doutorado, gerando o grau de doutor. Ele é feito por alguém que tem mais autonomia e profundidade de pesquisa que um aluno de mestrado. Os doutorados possuem duração média de 4 anos, incluem disciplinas e possuem processo seletivo para serem iniciados.
    • Monografias, dissertações e teses são requisitos de conclusão e aquisição de diferentes títulos de conhecimento e todos devem estar vinculados a uma Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação. Os alunos possuem um orientador e co-orientadores que possuem um título mais elevado daquele que você busca obter, por exemplo, um aluno de mestrado não pode ser orientado por um graduando.
    • Todos esses trabalhos de conclusão são avaliados durante o processo de produção e no antes da entrega e publicação dele em bancas formadas por especialistas na área de estudo.
    • Esses trabalhos costumam ser publicados nos sites das instituições de ensino onde eles foram desenvolvidos e costumam ter acesso gratuito.
    • Esses trabalhos possuem capa com o nome da Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação, o nome do aluno, os nomes dos orientadores e informam se é monografia, dissertação ou tese, e o mês e ano de conclusão.
    • Eles costumam ter seções determinadas pela instituição de ensino, mas em geral são: Capa, Ficha catalográfica, Ata de defesa, Índice de figuras, Índice de tabelas, Sumário, Introdução, Metodologia, Resultados e Conclusões. Elas podem ser divididas em capítulos ou não. Termina com uma lista de referências bibliográficas usadas durante o texto.
Capa de uma dissertação de mestrado para exemplo.
  • Livros e artigos científicos
    • Os livros e artigos científicos possuem padrões de formatação que vai depender do local onde ele vai estar sendo publicado.
    • A revista científica onde o artigo é publicado costuma dar indícios da seriedade do artigo. As revistas sérias possuem índice de impacto que é um valor calculado com base no número de artigos publicados e citações que fazem a cada artigo. Revistas com altos índices de impacto possuem maior credibilidade, de maneira geral. Esse valor costuma estar no site da revista ou ser facilmente encontrado no Google.
    • O idioma do artigo vai depender da revista onde ele vai ser publicado. Em muitas áreas científicas o inglês é a língua onde a maioria dos artigos é publicada, mas isso não é uma regra geral.
    • Além do fator de impacto da revista, você pode buscar no arquivo ou página o código ISSN (Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas ou Número Internacional Normalizado das Publicações em Série) é um conjunto de oito dígitos, onde cada publicação possui um único número, parecido com a ideia de CPF para cada pessoa.
    • Você também pode observar se o artigo tem um código DOI (Identificador de Objeto Digital) que consiste em um número único e exclusivo a todo e qualquer material publicado (textos, imagens, etc).
    • Normalmente os artigos e livros científicos são fruto de trabalhos de conclusão de curso inteiros ou partes deles. Nesses casos, eles passam pela avaliação de bancas e orientadores constantemente.
    • Para conseguir publicar em uma revista séria, o artigo deve ser avaliado por uma equipe de editores especialistas no assunto para ser corrigido e depois aceito ou negado.
    • O ano da publicação do artigo também pode indicar se o conteúdo dele está atrasado. Textos muito antigos podem necessitar da busca por textos mais novos para complementar o conhecimento.
    • Você também pode buscar por outros trabalhos acadêmicos ou pelo currículo dos autores do trabalho para saber se eles produziram outros trabalhos sérios.
Veja como é o código ISSN (abaixo do nome da revista) e do código DOI (abaixo da edição da revista).
Veja um exemplo de uma revista e um artigo científicos.
Partes de um artigo de maneira geral. Essas partes podem alterar de acordo com a área e revista.
  • Buscadores de artigos e livros acadêmicos
    • Textos acadêmicos podem surgir nos resultados da sua busca comum no Google, mas é muito mais provável que encontre em buscadores específicos. Eu dou alguns exemplos a seguir.
    • No entanto, fique atento aos requisitos em um trabalho acadêmico que expliquei acima, pode ser que eles apareçam por serem disfarçados de acadêmicos, sendo pseudociência.
    • Nos buscadores acadêmicos você pode colocar o título do trabalho ou palavras chave, assim como no Google. A minha recomendação é que use o Google Tradutor, se for necessário, para buscar em outras línguas diferentes do português. Nos meus estudos de Grécia Antiga tenho a sorte de encontrar muito material bom em português, mas também encontro em Espanhol, Italiano e em Grego.
Buscadores de artigos científicos.
  • Como citar em trabalhos acadêmicos?
    • Quando um cientista vai escrever um texto, ele precisa ter referenciais teóricos para corroborar o seu trabalho, para dar fundamentação teórica ou para mostrar como o seu trabalho foi inovador. Citar faz parte da ciência e normalmente o número de citações que um artigo tem também fala de sua relevância.
    • Existem diferentes modelos de citação e programas que fazem a citação automaticamente. Eu não entrarei nesses detalhes porque normalmente alunos preparando trabalhos de conclusão, livros ou artigos possuem orientação dos editores da revista, de seus colegas ou programas de pós-graduação.
    • De maneira geral, toda vez que você cita alguém você coloca o último nome do autor referenciado e o ano do trabalho entre parênteses e a referência completa na lista de referências ou no rodapé da página.
Fonte: Rede Para.

Fontes não-acadêmicas

  • Agora que você entende como identificar um texto acadêmico, você sabe que o que está fora desses moldes são textos não-acadêmicos.
  • Em textos não-acadêmicos não existe um padrão específico de citação, então você pode escolher um modelo e seguir, desde que as informações mínimas de autoria estejam presentes. Normalmente, as pessoas costumam consultar as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para tentar manter um padrão.
  • O texto não precisa ser científico para ser confiável. No entanto, é muito mais difícil identificar quando ele é confiável porque ele não passou por uma vistoria técnica antes de ser publicado, mas vou tentar ajudar nisso.
  • Identificando a seriedade de um texto não-acadêmico:
    • O autor que não é cientista não tenta se passar por cientista, deixando claro que o texto produzido não é acadêmico.
    • O autor deixa claro quando está falando da sua opinião/vivência e não está se baseando em outras pessoas.
    • Quando existe a inspiração ou uso de material alheio, o autor não esconde e faz citações.
    • O autor não lucra através de textos obtidos gratuitamente ou sem autorização do autor da obra.
    • Apesar de ser um texto não-acadêmico, existe uma coerência com textos científicos se dados de pesquisas científicas são apresentados.
    • Se o autor tem muitos textos sobre assuntos semelhantes sendo abordados com profundidade, uso de fontes científicas demonstra domínio no assunto.
    • O autor não tem problema de ser questionado quando a fontes não são apresentadas, corrige quando esquece de citar alguém e aceita críticas construtivas.
    • Se o autor é citado e reconhecido por outras pessoas da mesma área é um sinal de que estão corroborando o que está sendo apresentado por ele.
    • O autor busca fazer debates mostrando a perspectiva de outras pessoas sobre o assunto abordado e não tenta ser o dono da verdade.
  • Se você está produzindo um texto não-acadêmico, você precisa se atentar para dois tipos de citação:
    • Citação direta – É quando você copia fragmentos completos da obra original. Nesse caso é indicado usar indicações de onde ela começa e termina, com aspas e/ou itálico, seguido do nome do autor e ano de publicação. Se possível, ela deve ficar destacada do resto do texto com um recuo no lado esquerdo do texto. Se for um site da internet, inclua o link. Se for um livro ou similar, você pode adicionar o número da página.
    • Citação indireta – É quando você fala com outras palavras ou se inspira em outra obra para criar. Nesse caso é indicado fazer uma lista de referências no final do texto indicando os textos usados para compor a sua obra. Se a quantidade de obras for muito grande e de difícil identificação de onde ela foi usada, é importante deixar claro entre parênteses onde cada uma foi usada.
  • Citação de site ou reportagem da internet:
    • Quando você usa um site, você precisa citar quem escreveu aquela página. Se o nome do autor do texto não for claro, coloque o nome da matéria e o link onde você acessou. Como os sites são editáveis, então é importante que você fale o dia que consultou a informação.
  • Citação de livro:
    • Se você tem um livro físico ou digital e quer citar, normalmente você tem uma dica de como fazer na ficha catalográfica dele. É indispensável que coloque o nome do autor, título do livro, ano de publicação, edição e editora.
Exemplo de ficha catalográfica de livro. A citação poderia ser: Silva, Alice Vitória da. Divulgação Científica: como tornar a sua pesquisa mais acessível [Recurso eletrônico], 1 ed. Recife: Even3 Publicações, 2021.
  • Citação de imagens:
    • Se você pegou uma imagem no Google Imagens, Pinterest ou bancos de imagens, busque se ela está em domínio público.
    • Sempre cite o máximo de informações que tiver, como nome de fotógrafo e modelo.
    • Se você pegou uma imagem de um artigo acadêmico que não tem livre acesso, você precisará pedir autorização antes de usar.
    • Se foi uma obra de arte, cite na legenda da imagem: o título da imagem dado pelo autor, o nome do autor, o ano de criação e, se possível, onde a versão física da obra está localizada.
    • Utilize a ferramenta do Google Lens, clicando com botão direito na imagem para tentar localizar a origem dela.
  • Citação de trabalho acadêmico:
    • A citação de textos acadêmicos deve incluir no mínimo o nome do autor, ano de produção, título da obra, revista onde foi publicada. Se puder, inclua o link da publicação.
    • Mostro uma forma simples para quem é produtor de conteúdo independente e quer fazer citações de textos acadêmicos:
Veja como citar usando o Google Acadêmico. Você digita o nome do texto que quer citar, clica em citar.
Exemplo de citação automática feita pelo Google Acadêmico. Escolha um padrão e copie.

Não é confiável quando…

  • … diz que é acadêmico e não é.
    • Fuja da pseudociência, quando um texto tenta imitar um texto acadêmico com gráficos ou formato de escrita, mas não é vinculado a uma instituição de pesquisa séria e não tem avaliação de outros cientistas antes da publicação.
  • … faz plágio.
    • Textos sem referências em imagens, dados científicos, rodapés ou em assuntos que não são do domínio do autor do texto.
  • … usa termos que já foram desacreditados.
    • Textos de referência muito antigas ou de conceitos preconceituosos que não tem responsabilidade social é um sinal de que a fonte é obsoleta.

Autorização para uso

  • Quem produz é dono dos direitos autorais de sua obra, então ele tem o direito de controlar o acesso e a reprodução do seu material, inclusive negar o uso.
  • Os artigos e livros científicos, de maneira geral, são propriedade da revista onde ele foi publicado. Isso inclui imagens, gráficos e reprodução de texto. As revistas costumam ter campos em seus sites para pedir autorização de uso, tal pedido é avaliado e então liberado ou negado. A maioria das revistas científicas não tem acesso livre, sendo necessário pagar para ter acesso. As universidades costumam pagar pelo acesso para seus alunos e funcionários, verifique essa possibilidade se você for vinculado a uma instituição.
  • Alguns artigos científicos são de livre acesso e você não precisa pedir autorização para ler ou citar. Normalmente isso é identificado porque você não precisou pagar ou entrar com login e senha no site da revista.
  • Os textos não-científicos podem ter regras variadas dependendo do autor, se ele não deixa claro se pode ou não usar, entre em contato com eles. Muitos são autores independentes e deixam o acesso livre desde que tenha citações devidas e não envolva ganhos lucrativos na reprodução (é o caso do Submundo Periférico). Afinal, não é justo você lucrar sozinho com o trabalho de outras pessoas.
  • Se você irá reproduzir algum conteúdo para fins lucrativos, seja por apostila, slides ou palestra, você necessariamente precisa de uma autorização escrita de todos os autores com textos autorais que irá utilizar, além de mostrar como será usado antes da publicação.
Fonte: Depositphotos

Considerações finais

  • Muito conteúdo na internet está aberto para qualquer um ter acesso, mas se apropriar do conteúdo alheio como se fosse seu é crime, independente de ter livre acesso ou não. Faça as citações, peça autorização se for o caso e tenha respeito pela criação do outro.
  • Se você quer ser produtor de conteúdo, confie no seu próprio potencial. A sua audiência tem que quer ver o seu ponto de vista e não apenas a reprodução dos outros.
  • Se for usar alguém como base, inspiração ou fonte de conhecimento, cite. Não é demérito ter uma lista de referências após o seu texto. Isso mostra que estudou e que sabe do que está falando. Isso valoriza o seu trabalho.
  • Não se sinta pessoalmente ofendida por ter uma recusa de algum autor, é apenas o direito dele sendo exercido. Você também não gostaria de ser desvalorizado ou ter sua obra usada sem o seu consentimento, não é mesmo?
  • Se você foi plagiado ou detectou o plágio, fale com a pessoa que fez. Sinalize o plágio e se a pessoa for séria, ela vai se desculpar e corrigir o material incluindo a citação correta.
  • Se você produz conteúdo que fica em acesso público, proteja a sua obra o máximo que puder. Se possível registre ela na Biblioteca Nacional da sua cidade para oficializar a sua autoria. No entanto, mesmo sem esse registro, é possível provar a sua autoria.

Referências

  1. Digital object identifier (DOI). Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Digital_object_identifier#:~:text=O%20DOI%20atribui%20um%20n%C3%BAmero,respons%C3%A1vel%20pela%20publica%C3%A7%C3%A3o%20do%20documento.> Acesso 04/02/2023.
  2. What is an ISSN? Disponível <https://www.issn.org/understanding-the-issn/what-is-an-issn/#:~:text=An%20ISSN%20is%20an%208,are%20concerned%20by%20an%20ISSN%3F> Acesso 04/02/2023.
  3. Fernandes, Márcia. Citação direta e indireta. Disponível em <https://www.todamateria.com.br/citacao-direta-e-indireta/> Acesso 04/02/2023.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − onze =

error: O conteúdo é protegido!