Conceitos básicos

Arquétipos

Introdução

  • Existe uma aproximação entre o neopaganismo e as teorias da psicanálise, uma vez que ambos utilizam o recurso do mito para explicar processos tanto religiosos quanto psicológicos.
  • Por isso, eu trouxe para vocês alguns conceitos básicos que acabam sendo usados de maneira errada e leviana por muitos bruxos ou por pessoas que se dizem bruxas.
  • Eu não sou psicóloga, por isso, recomendo fortemente que vá direto nas referências para aprofundar suas compreensões sobre o tema.

Conceitos básicos

  • Inconsciente
    • É o espaço da psiquê que contém os conteúdos reprimidos ou esquecidos. Ele surgiu antes da consciência.
    • Um conceito cunhado de maneira errada como se fosse sinônimo de inconsciente é o subconsciente, como se fosse uma consciência abaixo ou inferior a consciência. 
  • Inconsciente Pessoal
    • Surge a partir das experiências do indivíduo ao longo de sua existência.
    • Ele é único de cada indivíduo.
    • Seus conteúdos são chamados “complexos de tonalidade emocional” e formam as sombras.
  • Inconsciente Coletivo
    • Surge a partir das experiências da humanidade ao longo de sua existência.
    • Compartilhado entre todos os indivíduos.
    • Seus conteúdos são chamados “arquétipos”.
  • Instinto
    • Comportamentos especificamente formados e com objetivos que ocorrem em diferentes graus de consciência. Agir pelo instinto é agir com base no inconsciente e não na racionalidade da consciência.

Preconsciência e Subconsciente

  • É um caminho intermediário entre o inconsciente e a consciência.
  • Nele estão o conteúdo que não fica presente na consciência, mas pode vir a tona na consciência, como as memórias e os conhecimentos armazenados.

Consciência

  • É quem vivencia as experiências dos inconscientes coletivo e pessoal. Ela é racional, avalia e julga.
Consciente, pré-consciente, inconsciente.

ID, Ego e Superego

  • ID – É a parte da nossa personalidade que visa satisfazer os desejos primários e as necessidades fisiológicas. Reações como choro, ansiedade e tensão são sinais de que precisamos satisfazer o ID.
  • Ego – É a parte da nossa personalidade que visa satisfazer o ID de forma socialmente aceita, permitindo comportamentos apropriados. É um aspecto da consciência que faz a ligação entre o consciente e o inconsciente. Ele negocia entre o ID e o superego.
  • Superego – É a parte da nossa personalidade que agrupa os nossos paradigmas morais, regras de conduta e padrões éticos. Ele que diz como fazer um julgamento e saber o que é certo e errado.
Ego, ID e Superego.

Arquétipo

  • Arquétipo (do grego ἀρχή – arché: “princípio”, “posição superior”; τύπος – tipós: “marca”, “tipo”) é um conceito que representa o primeiro modelo de algo, protótipo, ou antigas impressões sobre algo.
  • São conteúdos do inconsciente coletivo que surgem por conta de padrões de comportamento gerados a partir das relações mais significativas e repetitivas que a humanidade foi tendo ao longo de sua história. Ele se modifica de acordo com a consciência individual que o manifesta.
  • Exemplo
    • As situações do dia-a-dia faz com que certos arquétipos sejam ativados. Como no caso de uma mãe sem experiência prévia que acaba tendo comportamentos semelhantes ao de outras mães, motivada pelo instinto materno. Ao longo do desenvolvimento da humanidade, observa-se um conjunto de comportamento entre mãe e filhos semelhantes que levou a criação do arquétipo de mãe. O arquétipo se constrói ao longo de tempo com as relações pessoais e coletivas que vão ocorrendo. A experiência é individual, mas o plano de fundo que motivou aquela experiência é coletivo.

Símbolos

  • Símbolo (do grego σύμβολον, symbolon) é um objeto físico ou imagem, tendo o seu significado concreto, mas que busca representar algo abstrato, que tem significados além da apenas aparência.
  • Na Grécia Antiga, o symbolon era um objeto físico, concebido como uma indicação material de identificação ou acordo. Essa prática pode ter começado como um lembrete de um acordo de hospitalidade (xenia) que ocorreu e passou a ter ramificações mais amplas.
  • Uma taça de ouro serviu de símbolo entre o rei persa e um ateniense, sendo dada para lembrar que a hospitalidade foi cumprida. Neste caso, o símbolo era transferível, dando ao seu possuidor o comando sobre bens e dinheiro em toda a Ásia Menor (ou assim foi alegado).
  • Os símbolos são mencionados em meados do século IV em um tratado entre Atenas e Strato, rei de Sidon. Enquanto o termo cognato símbolo passou a significar um acordo ou contrato (por exemplo, sobre um empréstimo), símbolo normalmente se referia a acordos entre governantes, tratando de relações jurídicas entre indivíduos de diferentes estados, ou entre um estado e um indivíduo.
  • Símbolos também poderiam ser um objeto onde uma metade deve ser aproximada de sua outra metade para adquirir seu pleno significado. Como uma moeda dividida ao meio.
  • Símbolos também representações dos arquétipos que estão no inconsciente coletivo ou no inconsciente individual. Por isso, a interpretação do significado dos símbolos depende diretamente do contexto onde ele surgiu. Os seus significados são moldados pelo coletivo e também pelas experiências do indivíduo.
  • É possível se comunicar com o inconsciente através dos símbolos.
  • Exemplo
    • Algumas deusas podem ser consideradas representações da Grande-Mãe e existem símbolos coletivos que remetem a esse arquétipo como o corpo gestante, a Lua Cheia, fertilidade do campo, etc. ou símbolos pessoais provenientes da nossa idealização de mãe, conflitos com a maternidade, exemplos de mães, etc.
  • Perceba que mesmo o símbolo não é exclusivo de apenas um arquétipo. A Lua Cheia, por exemplo, pode simbolizar a Grande Mãe, mas também contém infinitos outros significados.

Estereótipo

  • Conjunto de características padrões que descreve o arquétipo.
  • Exemplo
    • A Grande Mãe é aquela que traz gera e nutri seu filho. Perceba que a tentativa de descrever um arquétipo automaticamente o torna um esteriótipo. Como o conceito de arquétipo é amplo, ele não pode ser limitado a um conjunto de características. Ele é construído e desconstruído constantemente de acordo com quem o manifesta.
  • O estereótipo pode se confirmar ou não. Ajuda a fazer interpretações sem o prévio conhecimento das características do indivíduo. Por exemplo: o estereótipo de ladrão. Ele pode se confirmar em alguns casos, te ajudando a sair da situação suspeita. No entanto, isso também pode te levar a julgar erroneamente alguém só porque ela se encaixou no seu estereótipo de ladrão. E, em outros casos, ladrões que atuam de formas diferentes do seu estereótipo podem te enganar.

Deuses são arquétipos? NÃO!

  • Os deuses não são arquétipos, mas podem atuar como representantes de aspectos arquetípicos.
  • Por exemplo: o arquétipo da grande-mãe pode ser representado por inúmeras deusas. O instinto materno de uma mãe proteger e amar a sua prole se relaciona com esse arquétipo. Neste caso, por exemplo, Deméter pode ser uma representante do arquétipo de grande-mãe, mas ela não se resume apenas a esse arquétipo, assim como o arquétipo não se resume a Deméter.
  • O arquétipo é algo muito amplo que não pode ser resumido por uma divindade.
  • A divindade possui um conjunto de características que não se limita por apenas um arquétipo.

Fontes do inconsciente

  • Sonhos
    • Segundo Jung, os sonhos são “produtos espontâneos da psique inconsciente, independentemente da vontade, sendo, por conseguinte, produtos da natureza, puros e não influenciados por qualquer intenção consicente”.
    • Eles seriam fantasias e muitas vezes instintos reprimidos que tem por objetivo influenciar a mente consciente. Os sonhos se tornam menos frequentes quando eles atingem a consciência.
    • O significado dos sonhos em grande parte das vezes não é literal porque os símbolos que emergem nos sonhos podem ter significados racionais e terem influência do incosciente pessoal.
  • Outras fontes
    • Delírios dos doentes mentais;
    • Fantasias em estado de transe;
    • Sonhos da primeira infância (até 5 anos);
Exemplos de arquétipos

Conclusões

  • As divindades não são arquétipos, e vice-versa.
  • Todas as pessoas possuem todos os arquétipos, uma vez que as pessoas são os agentes criadores dos arquétipos a partir de suas relações coletivas ou individuais. Cada pessoa vai ativar um arquétipo de maneira diferente devido às suas experiências individuais.
  • Você pode acreditar ou não na existência de deuses como seres individuais que existem e possuem suas próprias características. Nessa perspectiva, eles também possuem todos os arquétipos.
  • Você pode optar por basear a sua prática na visão de que os deuses são apenas símbolos de arquétipos e trabalhar no desenvolvimento de um conjunto de arquétipos em detrimento de outros.
  • Limitar uma pessoa a um arquétipo devido a um comportamento ou modo de se expressar é criar esteriótipos por falta de conhecimento do termo, ou seja, preconceito.

Referências

  1. Jung, C. G. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.
  2. Playlist “Arquétipos” do canal no youtube “Conhecimentos da Humanidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =

error: O conteúdo é protegido!

Notice: file_put_contents(): Write of 109868 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 86 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 59046 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 572 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 217 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 4323 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 38553 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 102283 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 981 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 999 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 1125 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Notice: file_put_contents(): Write of 8132 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172

Fatal error: Uncaught ErrorException: file_put_contents(): Write of 416 bytes failed with errno=122 Disk quota exceeded in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php:172 Stack trace: #0 [internal function]: litespeed_exception_handler() #1 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php(172): file_put_contents() #2 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/optimize.cls.php(809): LiteSpeed\File::save() #3 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/optimize.cls.php(769): LiteSpeed\Optimize->_build_single_hash_url() #4 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/optimize.cls.php(349): LiteSpeed\Optimize->_src_queue_handler() #5 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/optimize.cls.php(264): LiteSpeed\Optimize->_optimize() #6 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php(324): LiteSpeed\Optimize->finalize() #7 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/plugin.php(205): WP_Hook->apply_filters() #8 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/core.cls.php(477): apply_filters() #9 [internal function]: LiteSpeed\Core->send_headers_force() #10 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/functions.php(5373): ob_end_flush() #11 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php(324): wp_ob_end_flush_all() #12 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php(348): WP_Hook->apply_filters() #13 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/plugin.php(517): WP_Hook->do_action() #14 /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-includes/load.php(1260): do_action() #15 [internal function]: shutdown_action_hook() #16 {main} thrown in /home/u360919147/domains/submundoperiferico.com/public_html/wp-content/plugins/litespeed-cache/src/file.cls.php on line 172