Herbário

Milho

O grão dos deuses

  • O milho é originado da domesticação do teosinto (“teocintli”, do idioma dos indígenas Nahuatl, que significa grão dos deuses). É considerado um dos primeiros alimentos a serem cultivados.
  • É uma planta de ciclo anual e que gosta de clima quente e solo fértil para se desenvolver. Possui grande importância econômica na indústria alimentícia, na produção de combustíveis, produção de cola, uso cosmético para sabonetes e na fabricação de álcool e papel.
  • O mito tem relação com divindades de diferentes culturas ao redor do mundo. Entre elas deusa Cherokee Selu, Mulher Amarela e a deusa Iyatiku do povo Keresan, deusa Chicomecoatl. Também tem deuses como Centeotl, Centzon Totochtin, Seminole Fas-ta-chee, os Hurons.
Dança da fertilidade do milho. Artista: Mary Evans.


A Mãe do Milho

  • Também conhecida como Donzela do Milho está presente em mitos indígenas da América do Norte.
  • Em uma das versões, a Mãe do Milho é uma anciã que socorre uma tribo faminta. Ela adota um órfão. Ela produz grãos de milho esfregando seu corpo e ao descobrirem a acusam de feitiçaria. Antes de ser morta, ela explica como cuidar do seu corpo. Brotam milhos de onde o corpo dela foi arrastado, de seu cadáver e da sepultura.
  • Em uma segunda versão, ela é uma jovem bela que casa com um homem de uma tribo que passa fome. Ela produz milho de uma forma que também deixa todos enojados. Ela acaba expulsa da tribo. Quando o marido a segue, ela dá as instruções de como cultivar o milho.
Mãe do Milho. Artista desconhecido.


O Rei Milho

  • No Hemisfério Norte, o mês de julho era considerado o mês da fome. Isso porque acreditava-se que dava azar fazer colheitas antes do dia sabbat de Lammas é no primeiro de agosto. O ideal era realizar a colheita em um dia de lua minguante para favorecer a secagem do milho. A primeira colheita era concentrada em grãos e cereais.
  • Segundo o mito, o Rei do Milho (também com nome John Barleycorn) é um deus que se sacrifica pela deusa Terra para que ocorra uma boa colheita. Ele ressuscita na primavera. Por isso, são feitas homenagens e libações de hidromel, cerveja e vinho em agradecimento de seu sacrifício. Eram feitos pães com milho representando a jornada de seu espírito ao submundo. Um dos nomes do sabbat da primeira colheita é Lammas, em sua homenagem (da palavra anglo-saxônica “Hlafmas”, ou “massa de pão”).
  • A ideia de um homem moribundo e ressuscitado que entra no papel de bode expiatório tem associações com outras divindades como Dionísio, Jesus, Adônis, Osíris e Tamuz.
Rei do Milho. Artista: Charles Vess.


A domesticação do milho

  • A seleção artificial é um método que a humanidade desenvolveu para que características vantajosas para nós fossem aprimoradas e se mantivesse ao longo do tempo.
  • O processo de domesticação do milho começou a 5 a 10 mil anos anos atrás. Com isso, já houve muita manipulação para que a espiga tivesse numerosos graus e a cor amarela se mantivesse. Assim como características de resistência a pragas também foram selecionadas.
Possível transição entre o teosinto até a domesticação do milho atual.
Milho selvagem (sem manipulação), híbrido (com algumas
manipulações) e doméstico (muito manipulado).


Milho (Zea mays)

  • Origem: México e América do Sul.
  • Outros nomes: avati, maíz, corn (inglês), maize (inglês).
  • Informações nutricionais:
    • É uma excelente fonte de carboidrato;
    • Vitaminas: Betacaroteno, C, A, K, B1, B2, B3, B5 e B6;
    • Minerais: Selênio, Potássio;
    • Ótimo para o cabelo, pele, digestão, coração e cérebro.
    • Ajuda a melhorar problemas na glândula tireóide e é muito importante para o desenvolvimento do sistema imunológico;
    • Possui maior teor de proteína e gordura que outros cereais.
  • Composição:
    • Na sua composição possui ácido maizerico, óleos fixos, resinas, açúcar, mucilagem, sal e fibras essenciais para nossa dieta;
    • Possui metabólitos secundários como saponinas, alantoína, esterol, estigmasterol, alcalóides, hordenina e polifenóis.
Plantação de milho.


Usos medicinais

  • Desde a antiguidade o milho já era usado na medicina ayurvédica, no tratamento de anorexia, emagrecimento e hemorróidas.
  • É um poderoso antioxidante que protege o corpo contra radicais livres que podem gerar envelhecimento, danos celulares ou câncer.
  • Pode ser usado para aliviar a dor como analgésico.
  • Também tem relação com tratamento da disfunção erétil, reumatismo e melhora a motilidade articular.
  • Como é rico em potássio, ele atua como agente diurético, sendo usado em casos de cálculos renais e infecções urinárias.
  • Auxilia na melhora da pressão arterial e disordens no fígado, estômago e bexiga e no tratamento de úlceras, feridas, inchaço, náuseas e vômitos.
Diferentes tipos de milho.


Correspondências

  • Gênero: Masculino
  • Planeta e signo: Saturno
  • Elemento: Fogo
  • Tarot: Sol
  • Energia de vitalidade, nutrição, prosperidade, gratidão e sorte.
  • A espiga pode ser usada como amuleto de prosperidade e ser pendurado atrás da porta da cozinha;
  • Os grãos ´podem ser usados em garrafas de prosperidade;
  • Os cabelos do milho podem ser usados em feitiços de amor e fertilidade para aquecer o fogo do casal;
  • O sabugo pode ser usado em feitiços para sucesso em lutas como ações judiciais ou questões amorosas;
  • Pode ser usado para proteção, sendo colocada uma espiga abaixo da cama. Quando ela secar, queime-a ou enterre. Substitua por outra espiga;
  • O milho também pode ser usado para decorar o altar em homenagem a deuses relacionados a agricultura e prosperidade.


Usos mágicos

  • Cozinha mágica:
    • Pode ser usado para fazer doces, salgados e saladas.
    • Pode ser consumido direto na espiga cozido ou como pipoca.
    • O seu óleo também é usado em diferentes receitas como bolos e para frituras.
    • Exemplos de pratos que podem ser feitos na culinária mágica ou como oferendas: cuscuz de milho, pães, bolos, pipoca, creme de milho.
    • Oferendas de receitas de milho para deuses relacionados a agricultura e ao sol.
  • Outros usos:
    • Defumação com a palha ou cabelo;
    • Bonecas e correntes com as palha;
    • Banho mágico com a palha;
    • Untar a vela com o seu óleo;
    • Sachê com os grãos para usar como amuleto;


# As informações aqui não substituem a consulta médica.


Referências

  1. Vollbrecht, E., & Sigmon, B. (2005). Amazing grass: developmental genetics of maize domestication. Biochemical Society Transactions, 33(6), 1502-1506.
  2. Kumar, D., & Jhariya, A. N. (2013). Nutritional, medicinal and economical importance of corn: A mini review. Res J Pharm Sci, 2319, 555X.
  3. Corn Mother. Disponível em <https://www.britannica.com/topic/Corn-Mother> Acessado em 08/02/2022.
  4. Lammas, Corn King. Disponível em <https://thepaganandthepen.wordpress.com/2010/07/31/lammas-corn-king/> Acessado em 08/02/2022.
  5. Revista Galileu. Original do México, o milho é mais brasileiro do que se imaginava. Disponível em <https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Biologia/noticia/2018/12/original-do-mexico-o-milho-e-mais-brasileiro-do-que-se-imaginava.html> Acessado em 08/02/2022.
  6. Dionísio e Jesus. Disponível em <https://advocatusatheist.wordpress.com/2014/04/14/jesus-the-corn-king-examining-some-parallels-between-jesus-and-dionysus/> Acessado em 08/02/2022.
  7. Tempero de Bruxa. Disponível em <https://temperodebruxa.com.br/6-usos-milho-magia-bruxaria/> Acessado em 08/02/2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 10 =

error: O conteúdo é protegido!