História

Helenístico e Helenismo

Conceitos importantes

  • Hélade
    • Em grego: Ἑλλάδος; romaniz.: Helládos.
    • Como era chamada a Grécia na Antiguidade, fruto da união das póleis.
  • Helenos
    • Em grego: Έλληνες, transl.: Éllines, “helenos”.
    • Nome dado a comunidades que tinham o grego como língua.
    • Originalmente, apenas uma pequena tribo na Tessália era chamada de helenos, mas a palavra logo se estendeu ao resto da península e passou a representar todo o povo grego.
  • Pólis
    • Eram cidade-estado, ou seja, uma cidade independente, com governo próprio e autônomo, economicamente autossuficientes e com seus próprios cultos religiosos.
    • É uma denominação comum na Grécia Antiga.
    • Plural de pólis: póleis.
    • Exemplos: Tebas, Atenas e Esparta.
Hélade
Grécia atual
  • Helenístico
    • É um período da história da Grécia, que ocorreu entre os séculos III e II AEC. Ocorreu entre a morte do Alexandre Magno (o Grande) até o crescimento do Império Romano.
    • O mundo helenístico é um resultado da integração de práticas do mundo bárbaro (não grego) e o mundo helênico (grego) a partir do Império formado por Alexandre Magno.
  • Helenismo
    • Em grego: Ἑλληνισμός.
    • Conjunto cultural dos helenos.
    • Também chamado de Hellenismos, Paganismo Helênico, Politeísmo Helênico, Neopaganismo helênico e Dodekateísmo (se referem ao culto dos 12 deuses olimpianos como pilares da religião).
  • Reconstrucionismo Helênico
    • Método pós-moderno que visa resgatar as práticas religiosas da Grécia Antiga e fazer adaptações dessas práticas na atualidade.
Entenda conceitos básicos do helenismo aqui.

Religião grega

  • A religião grega é essencialmente politeísta e animista. O culto envolvia deuses, semi-deuses e heróis.
  • Não existiam dogmas ou um livro sagrado do qual os fiéis devessem acreditar.
  • A finalidade do culto era pedir proteção e fartura para a família e para a cidade em suas práticas, atividades pessoais ou sociais.
  • As narrativas que explicavam fenômenos naturais, aventuras de heróis ou divindades eram transmitidos oralmente através dos mitos.
  • Devido ao imperialismo grego, conflitos políticos e guerras, suas crenças religiosas passaram por muitos processos de sincretismo onde eram absorvidas práticas dos povos conquistados.
  • Apesar da sociedade grega ser patriarcal, as divindades femininas eram respeitadas da mesma forma que os deuses masculinos. Também era comum existirem sacerdotisas.

Divindades gregas

  • A religião grega tem como característica o antropomorfismo, onde suas divindades possuem forma, virtudes e defeitos humanos. Não havia uma rígida regra moral seguida pelos deuses. Eles não eram onipresentes, onipotentes e nem oniscientes.
  • A primeira geração de olimpianos eram filhos de Cronos e Réia: Héstia, Deméter, Zeus, Poseidon e Hades;
  • A segunda geração de olimpianos eram filhos de Zeus e Hera: Ares, Afrodite, Apolo, Ártemis, Hefaístos, Atena, Hermes, Dionísios.
  • Eles habitavam o Monte Olimpo, exceto Poseidon e Hades. No Olimpo, os deuses se alimentavam de ambrosia, o famoso manjar dos deuses.
  • Os heróis mais famosos entre os gregos: Perseu, Jasão, Teseu, Édipo e Hércules.

Culto doméstico

  • O culto doméstico tinha papel fundamental na religião grega.
  • Toda família possuía seu culto em seu lar (“oikos”), onde o pai exercia as funções de sacerdote.
  • Existiam o culto a diferentes deuses nas casas gregas, mas incluía principalmente Héstia, Zeus Ktésios, Zeus Erkeios e os limites da casa eram protegidos por Hermes, Hécate e Apolo Agyieus.
  • As transições como nascimento, juventude, casamento e funerais eram acompanhadas de cerimônias sagradas.
  • Os elementos principais usados na casa eram a lareira com o fogo sagrado em honra de Héstia e os altares.
  • Os altares tinham basicamente uma tigela para purificações, o incensário, velas e um recipiente para libações (se o altar fosse na parte externa da casa, eram feitas direto ao chão).

Culto cívico

  • A vida pública das cidades sofria grande influência da religião. Todas as cerimônias públicas eram precedidas por práticas religiosas.
  • Cada cidade tinha sua grande festa religiosa e suas divindades regentes.
  • Existiam muitos templos dedidados a uma divindade ou a um grupo de divindades e recebiam multidões de toda a Hélade.
  • Os helenos também possuíam o hábito de consultar os deuses através de oráculos. Um exemplo famoso é o Oráculo de Delfos, onde sacerdotisas de Apolo (pitonisas) entravam em transe ao aspirar odores que vinham das rochas e os sacerdotes interpretavam.
  • O calendário heleno incluía festivais mensais e anuais para homenagem as suas divindades.
  • Existiam grandes jogos para homenagear os deuses dos santuários, são eles: ístmicos, neméios, píticos e olímpicos.
  • Existiam grandes números de adeptos ao Orfismo e aos Mistérios (o mais famoso ocorria em Elêusis na Ática).
Leônidas nas Termópilas – Pintor: Jacques-Louis David (1748-1825).

Referências

  1. Hierokrithari Politeísmo Helênico/RS. Disponível em <https://www.hierokrithari.tk/apresenta%C3%A7%C3%A3o> Acessado em 28/11/2021.
  2. Helenos BR. Disponível em <https://www.helenos.com.br/> Acessado em 28/11/2021.
  3. Arruda, J. J. A. (1942). História Antiga e Medieval. 5 ed. São Paulo: Ática, 1982.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =

error: O conteúdo é protegido!