Bestiário

Gatos

Introdução

  • O gato doméstico é um mamífero da espécie Felis silvestris catus. Eles são felinos, predadores e carnívoros. Eles se alimentam de roedores, pássaros, lagartixas e alguns insetos.
  • Os gatos adultos variam entre 2,5 e 12 kg e podem viver cerca de 20 anos, em boas condições de tratamento, sendo que em condições de abandono, a expectiva de vida é de 3 anos. Eles ficam gestantes por 57 a 68 dias.


Curiosidades sobre os gatos

  • Os gatos são o segundo tipo de animal de estimação mais popular no mundo, perdendo em números com os peixes.
  • Os gatos de três cores (branca, preto e amarelo) normalmente são fêmeas devido a distribuição genética das cores terem ligação com os cromossomos sexuais. Uma vez que fêmeas são sempre XX e machos XY, a única combinação que gera gatos de 3 cores, é um XX com um dos X vindo de um pai ou mãe preto e outro de um pai ou mãe bicolor. Como os machos só tem uma cópia do X, eles só conseguem ter duas cores, nunca três.
  • Existem estudos que demonstram que pessoas que possuem gato tem 30% menos chances de morrer de infarto. Provavelmente devido a diminuição do estresse por ter um animal de estimação.
  • A contagem de raças de gatos varia de acordo com os critérios do comitê que faz essa avaliação. Podendo variar de 15 a 71 raças diferentes de gatos domésticos.

Simbologia dos gatos

  • Os gatos possuem relação com diferentes divindades de diferentes culturas e panteões.
  • No panteão egípcio, os gatos foram associados a deusa Bastet e a deusa Ísis. Quando o gato doméstico morria no Egito Antigo, ele era embalsamado e toda a família se entristecia e raspava as sobrancelhas em homenagem a eles.
  • No panteão celta, a deusa Ceridwen tem relação aos gatos, uma vez que seu filho Taliesin teria sido um gato de cabeça sarapintada em uma de sua reencarnações.
  • No panteão nórdico, os gatos são associados a deusa Freya, que tinha dois gatos puxando sua carruagem. Eram deixadas tigelas de leite nas plantações para os gatos das deusas se alimentarem.
  • Entre os gregos e romanos antigos era raro ter gatos domésticos, tendo registros de gatos domésticos no sul da Itália do século V AEC. O sincretismo entre Bastet e Ártemis, levou a simbologia dos gatos para a deusa grega. Nas Metamorfoses de Ovídio, a deusa Diana se transforma em um gato.
  • Na China, durante a dinastia Song, os gatos eram os animais de estimação preferido e tinham peixes que eram vendidos especificamente para gatos.
  • No Islã, os gatos são considerados sagrados, inclusive existem afirmações de que Maomé teria um gato favorito, o Muezza. 

Maneki Neko

  • Literalmente significa “o gato que convida”, mas também é conhecido como o gato da sorte ou gato do dinheiro. 
  • Ele é uma escultura oriental de cerâmica, tradicionalmente de um gato bobtail japonês, que acena com uma pata levantada. Ela é muito utilizada em estabelecimentos comerciais e escritórios. Algumas delas fazem o movimento de balançar a pata.
  • A pata direita levantada atrai dinheiro e a esquerda atrai clientes. Existem diferentes simbolismos para cada cor que o gato possuir.
  • A coleira vermelha com um sino na estátua remete a costumes do período Edo (1603-1867) sendo um símbolo da aristocracia. As damas da corte colocavam coleiras vermelhas com um sino feita de um tecido de luxo da época, o chirimen.
  • Algumas esculturas também seguram um koban, a moeda de ouro ovalado do período Edo. É uma moeda fictícia, já que um koban vale apenas um ryo e o koban da estátua de um Maneki Neko vale 10 milhões de ryo. Isso simboliza a fortuna, riqueza e prosperidade.
  • Na mitologia japonesa, os gatos também são associados entidades sobrenaturais ou kaibyō (かいびょう, “gato estranho”) . Também existem pequenos santuários para gatos no meio da ilha de Tashirojima, na prefeitura de Niigata e na entrada da cidade de Kyotango em Kyoto.
  • A Hello Kitty, criada por Yuko Yamaguchi, estreou em 1974 e se tornou um marco da cultura japonesa.


O gato na Rússia

  • Eram considerados animais de boa sorte entre os russos há séculos. Era recomendado que todos possuíssem um gato e que ele fosse o primeiro a entrar em uma casa nova.
  • No cristianismo ortodoxo russo, os gatos são os únicos animais que podem entrar na igreja.
  • Existem multas enormes para quem matar um gato, cavalo ou boi.
  • São mantidos muitos gatos no Museu Hermitage / Palácio de Inverno desde o reinado da Imperatriz Elizabeth, quando ela foi presenteada pela cidade de Kazan com cinco gatos para controlar a população de roedores. Atualmente existem cerca de 74 gatos de ambos os sexos no palácio.


O gato de botas

  • É um conto publicado em 1697, criado pelo francês Charles Perrault, que também é autor de Chapeuzinho Vermelho, Cindera e A Bela Adormecida.
  • Na história um menino ganha um gato de herança de seu pai. Graças a astúcia de seu gato, o menino consegue conquistar a mão de uma princesa em casamento, convencendo um rei muito poderoso que ele pertencia a um figalgo chamado Marquês de Carabás.
  • Em outras versões do conto, o gato de botas poderia ser um cavaleiro enfeitiçado que precisaria trazer fortuna a um humano para quebrar sua maldição. Em outra versão, ele seria um escravo que deveria conseguir a mão de uma princesa para seu amo para se libertar das correntes.


A demonização do gato preto

  • Na Idade Média, os gatos que simbolizavam muito Ártemis, passou a ser símbolo da Virgem Maria, da Anunciação e da Sagrada Família.
A Sagrada Família, com o jovem São João Batista, um gato e dois doadores.
  • Durante o inicio do período moderno o termo grimalkin (ou greymalkin) foi associado ao diabo e à feitiçaria. Ele é um termo arcaico para gato, vindo de uma lenda escocesa onde os grimalin eram um gato feérico que habitava as terras altas. Muitas mulheres foram acusadas de bruxaria e mortas na Inquisição por serem acusadas de terem um grimalkin. Inclusive os gatos eram queimados juntos com as bruxas ou jogados de prédios.
  • Em uma das diversas bulas publicadas pelo papa Gregório IX, na bula chamada “Vox in Rama”, de 13 de junho de 1233, ele determinou que os gatos fossem exterminados por serem a encarnação de Satanás. Essa paranóia levou a diminuição da população de gatos e aumento da propagação da Peste Negra transmitida por pulga de roedores contaminados.
  • Os gatos eram considerados desrespeitosos porque não bajulam os humanos como os cachorros.
  • Os grimalkin foram utilizados em diferentes obras como:
    • “Beware the Cat” (1570), de William Baldwin; 
    • Macbeth (1606), de William Shakespeare, onde um  grimalkin ajuda três bruxas a olhar o futuro de Macbeth.
    • The House of the Seven Gables (1850), de Nathaniel Hawthorne, onde o narrador se questiona se é um gato olhando para um rato ou o diabo procurando uma alma. 
    • Wuthering Heights, de Emily Bronte;
  • A imagem da bruxa feia, malvada e velha acompanhada de um gato preto e espíritos malignos permanece no imaginário popular. Isso leva as pessoas a associarem o gato preto ao azar, gerando violências contra gatos pretos próximos de sexta-feira 13 e do dia das bruxas no dia 31 de outubro. 
Um cartão postal do Dia das Bruxas do início dos anos 1900 com uma bruxa, um gato preto e espíritos.
  • O conto “The Black Cat” de Edgar Allan Poe foi publicado em 19 de agosto de 1843. Neste conto, muitas surpestições são evocadas, inclusive que os gatos pretos são bruxas metamorfoseadas. O gato preto da história se chama Pluto, em alusão ao deus romano do submundo.
  • Temos muitas obras de animação com gatos que tentam suavizar essa visão demoníaca dos felinos, como Frajola, Tom & Jerry, Comichão e Coçadinha, Hello Kitty, Gato Félix, Manda Chuva, 

Gatos na bruxaria hoje

  • Os gatos são excelentes companheiros de bruxas, auxiliam no aterramento de energias após rituais, bastando fazer carinho neles. 
  • Eles também são ótimos protetores contra energias indesejadas e alertam a presença de espíritos.
  • Você pode utilizar os bigodes dos gatos que caem naturalmente como amuletos de proteção e potencializadores de feitiços.

Referências

  1. Gato. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Gato> Acessado em 08/04/2022.
  2. Maneki Neko. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Maneki_Neko> Acessado em 08/04/2022.
  3. Grimalkin.  Disponível em <https://en.wikipedia.org/wiki/Grimalkin> Acessado em 08/04/2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − quatro =

error: O conteúdo é protegido!